O Natal e o Luxo

O Natal e o Luxo

Escrito por Katia Robles

19 dez 2018

 “O Natal agita uma varinha mágica sobre todo o mundo, e observe, tudo é mais suave e mais bonito.”          

(Norman Vincent Peale)

 

O Natal é uma data festiva carregada de muita alegria, magia, nostalgia, sonhos, sentimentos de solidariedade e amor ao próximo.

O comércio se aquece para atender às demandas de enfeites, alimentação e presentes, itens indispensáveis para compor as festas e reuniões, nessa época do ano. As decorações tomam conta das lojas, dos shoppings, das ruas, tornando tudo mais bonito e alegre.

Em alguns países, as pessoas vivem intensamente esse período. Muitas vezes, temos a sensação de estarmos entrando em um filme ou em um livro de conto de fadas.  É comum vermos as pessoas vestindo roupas com motivos inspirados no tema e carros decorados com laços, luzes e até guirlanda.

Mas o que o luxo tem a ver com tudo isso?

A resposta é que o luxo tem tudo a ver com esse período, e existem muitas semelhanças interessantes, além das que todos já conhecem.

No período pré-histórico, os seres humanos eram nômades e viviam da caça e da coleta. Acreditavam que o sol, a lua, as árvores e os animais eram deuses, visto que eles contribuíam para a sua sobrevivência.

O luxo nasceu religioso e coletivo, fruto de rituais de reverência, saudações e oferendas aos deuses, onde os integrantes de uma tribo se enfeitavam com adornos artesanais, feitos com materiais encontrados na natureza (dentes de animais, sementes, peles, penas, entre outros).

Nessa época viviam sob o sistema de troca, onde se dava, esperando receber algo em troca e de equivalente valor. Era a expressão máxima do “É dando que se recebe”.

Os integrantes da tribo ofereciam presentes aos deuses como forma de receberem em troca, um novo período repleto de fartura (caça, frutas), com poucas dificuldades, menos doenças, menos mortes e menos desastres naturais.

Quando eles tinham um período ruim, acreditavam que os deuses não haviam gostado dos presentes oferecidos anteriormente, e faziam festas ainda maiores, com mais comida e com presentes melhores.

Quando eles tinham um período bom, eles caprichavam em uma festa maior e com mais oferendas, pedindo um novo período, ainda melhor.

Ou seja, a busca por atingir a excelência já estava instaurada e era constante.

Eles não possuíam a cultura de provisionamento, e nem os recursos para tal, e acabavam por comer todas as comidas disponíveis nos rituais, e depois enfastiados, dormiam por vários dias seguidos. Um verdadeiro luxo, segundo alguns autores.

As oferendas e rituais também eram usados como forma de aproximação e boa convivência com outros clãs.

Fazendo uma análise, veja que estavam presentes: o excesso, a abundância, a extravagância, a excelência, o artesanal, a exclusividade, a raridade, o supérfluo, que são características intrínsecas ao LUXO.

Mas, também estavam presentes: o sentimento religioso, a saudação aos deuses, a magia, os sonhos, os desejos, os pedidos, a fartura alimentar, a troca de presentes, a boa convivência, o coletivo, que tem tudo a ver com o nosso NATAL.

Analisando assim, parece que não estamos tão longe da Pré-História, não é mesmo?

Mas, voltando aos dias atuais, as pessoas enfeitam as casas, colocam os presentes na base da árvore de Natal, e se reúnem em volta de uma mesa, devidamente decorada, para comerem uma diversidade de comidas, enquanto conversam. Os adultos voltam ao passado ao se projetarem nos olhares brilhantes e entusiasmados das crianças que esperam ansiosas pelo Papai Noel e seus presentes.

E o luxo não é sonhar? Não é se encantar com os mínimos detalhes? Não é viver experiências memoráveis?

O importante é não deixar essa data passar em branco e saber que dá para fazer uma comemoração maravilhosa, tanto com objetos de luxo, quanto com materiais descartáveis reciclados.

A ideia é usar a criatividade, o bom gosto e fazer o melhor possível, de acordo com as condições que você tem e vive.

Independente de crenças religiosas, eu desejo a todos que tenham um Natal mágico, com muitas trocas de amor, carinho, sorrisos, abraços, generosidades e presentes (se possível).

E, se é dando que se recebe, dê o seu tempo, a sua dedicação, as suas palavras de conforto, aos menos favorecidos. Você vai ver a energia maravilhosa que você vai receber em troca. Uma energia extraordinária que alimenta e alegra a nossa alma e que não tem preço!

Desejo a todos um FELIZ NATAL!

Abraços.

por Katia Robles, especialista em Gestão de Negócios de Luxo.

 

www.krluxo.com.br

https://www.facebook.com/katiarobles.luxo